quinta-feira, 13 de novembro de 2008

"Uma garota, um bom combate..."



Acho que já está mais do que na hora de eu falar sobre Engenheiros do Hawaii por aqui não acham? Parece estranho, mas só agora senti vontade de escrever sobre tal. Tem tanta coisa, que fica um pouco complicado e admito que seria muito fácil escrever sobre o Pouca Vogal. As mesmas abobrinhas de sempre e nada a acrescentar. Resolvi então escrever sobre um disco renegado pela maioria dos fãs. Talvez por ser o primeiro pós-Maltz(HG3 só entrou na discografia oficial em 2004) ou então por fugir totalmente do conceito que a banda vinha seguindo até então. O regionalismo nas músicas e a presença de canções mais intimistas dão o tom ao Minuano. O Laçador presente na capa deixa extremamente evidente.

"Banco", que abre o disco, bate forte ao "gritar", "deve haver alguma coisa que ainda te emocione". "A Montanha"(single e hit) já demonstra a vontade de sair, fugir, extravasar, vontade essa consolidada no disco seguinte. "Faz Parte", "Nuvem" e "Outros Tempos" trazem a calmaria. O que dizer então de "Só acredito no que pode ser dito em 3 minutos" ou "Ninguém vai aceitar chamadas e cobrar"? 9051, até a pouco tempo atrás desacreditada por esse que vos escreve agora.
Imagino o sorriso no rosto de um certo nordestino bigodudo ao escutar a perfeição que deixaram sua bela composição "Alucinação".

Como era de se esperar, nem toda obra-prima é perfeita e "Deserto Freezer" confirma a teoria. Essa música não tem absolutamente nada a acrescentar ao disco e muito menos à história da banda. "O mal nasce do medo, como o ovo e a galinha" deixam meus rins em pedaços. Paciência, errar é humano, "Humano demais" até.

Ouçam sem parar esse disco e jamais falem mal dele na minha presença. Minha mão tende e ficar mais pesada quando o assunto é Engenheiros do Hawaii! =D

4 comentários:

Izabela disse...

Certo, certo... o HG Trio é um álbum que pra mim também impõe respeito, só por isto não falarei mal, se tu comentasse sobre uns e outros aí talvez eu discordaria, mas desta vez não devo, na verdade nem posso.

Quando penso neste cd, sem sombra de dúvidas penso em algo que GRITA, como que quem tivesse vontade de extravasar uma gama de sentimentos por algum tempo reprimidos, "banco" é uma das canções que demonstra isto..assim como "a ferro e fogo", "vida real", dentre outras... em contrapartida este álbum possui, na minha opinião, a canção mais doce que o Alemão já compôs "De Fé", ela me soa tão bem aos ouvidos..

Izabela disse...

Eu sou uma idiota!

hahahahaha.....

Eu viajei.. viajei mesmo!


Também pudera, eu nem consigo falar deste álbum, pra mim pareceu muito mais saudável falar do HG TRIO, que é raro de doer.. (dói até no bolso... :/ )

E como Banco é a unica canção que salva resolvi comentar o que me convém...

:D

É.. ela deveria fazer parte de outro álbum.

Bruna Heller disse...

Desculpa, meu querido amigo, mas MINUANO só tem o Laçador de bom na capa... hahahaha

Tá, vamos analisar.
Tirando "banco", "nuvem" e "a montanha", o que tem de bonito? Engenheiros do Hawaii é muito mais que isso, na minha humilde opinião...

Maaas, pra não perder o amigo, salvei essas músicas acima, tá? =D

Mil bjs!

Juliane Soska disse...

Minuano é um disco para fãs!

FATO

eu adoro Dezerto Freezer...é tipo o suprasumo da contradição! po!

e não existe nada mais regional, mais porto-alegrense do que Laçador e 9051 (hoje 9090)
e isso são coisas que realmente me emocionam!